• Monique Dasenbrock

Eneatipo 7: um breve resumo para ajudar na auto-observação


Identificado com o Ego:

O QUE TEME SOFRER

Disperso, evasivo, insaciável, hiperativo e acelerado


Breve descrição: A dificuldade desta personalidade está em entrar em contato com o vazio existencial. Tende a desenvolver uma personalidade divertida, alegre e positiva, usando o senso de humor como mecanismo de defesa. Tem dificuldade de escutar os outros com paciência porque também não escuta a si mesmo. Geralmente é hiperativo e hedonista, obcecado pela busca de prazer à curto prazo como antídoto para enterrar seu tédio crônico. Vive planejando o futuro, é muito disperso e tem dificuldade em estar presente e se concentrar. É especialista em fugir da dor, fugindo do desconforto através do barulho, dos planos futuros ou do entretenimento. Sempre quer mais e tem dificuldade de se sentir completamente satisfeito.


Ferida de nascimento: Sensação de vazio e insatisfação.


Principais padrões de comportamento inconsciente do ego:

  • Tenta preencher o vazio que percebe por dentro com pessoas e experiências agradáveis ​​e recompensadoras. Torna-se hiperativo e tem dificuldade para ficar parado;

  • Sua mente não para de tagarelar. Às vezes, por estar pensando em muitas coisas ao mesmo tempo, torna-se difícil se concentrar e ouvir os outros;

  • Aparenta ser feliz, enquanto de fato acumula muita dor por dentro. Usa o humor como mecanismo de defesa;

  • Pode se sentir desconfortável ao ficar sozinho e em silêncio, porque entra em contato com o vazio existencial. Tende a se tornar viciado em prazer para escapar da dor;

  • Fica entediado quando não encontra estímulos suficientes no ambiente e costuma pensar que algo melhor e mais divertido está acontecendo em outro lugar;


Memórias da infância: Quando crianças se defrontaram com um início de vida assustador e para lidar com o medo fugiram para as possibilidades ilimitadas da imaginação. Podem associar a infância à sensação de terem sido abandonados prematuramente por seus pais. Podem até se lembrar de que, para se sentirem seguros e confiantes, tinham que se cercar de brinquedos, experiências e pessoas estimulantes e recompensadoras. Assim, pouco a pouco interiorizaram que não é bom sentir dor ou tristeza. A experiência de medo foi esquecida e guardaram as lembranças agradáveis da infância.


Medo inconsciente: Ver-se sem nada, sentido dor e sofrimento. Tem medo de se conectar com sua ansiedade e vazio interior.


Visão limitada e distorcida do mundo:

Não posso me desanimar e sempre tenho que ver o lado positivo das coisas”.
“Preciso evitar dor, desconforto ou tédio porque, se me permitir vivenciar essas emoções, provavelmente me aprisionarei nelas por muito tempo, talvez para sempre”.

Vício emocional (paixão do ego): Gula: Desejo insaciável de “encher-se” e de preencher o vazio interior com inúmeras atividades estimulantes e positivas.


Vício mental (fixação): Planejamento ou Imaginação Positiva: pensamentos e focados em sonhos e ideias prazerosas, otimistas, onde tudo dá certo. Neste futuro não há dificuldades, dores e tristezas. Quanto maior a dificuldade do agora, mais os sonhos se intensificam desviando os tipos 7 das frustrações e limitações da realidade prática.


Mecanismo de defesa: Racionalização. Constroem desculpas racionais dando significado positivo a qualquer fato da vida.


Tentação: Idealismo, criatividade. Sua natural agilidade mental lhe permite produzir soluções brilhantes para problemas comuns. Quer estar se empenhando em algo que traga prazer e alegria a ele e aos outros.


Armadilha: Imaginar coisas agradáveis e prazerosas.


Conectado com o Ser:

SOBRIEDADE

Alegre, feliz, gracioso, presente, grato, abundante, enxergam a vida como uma benção cheia de maravilhas e celebram em gratidão.


Qualidade essencial: Ao recuperar o contato com o Ser, reconecta-se com sua qualidade essencial: sobriedade, por meio da qual ele se sente muito bem consigo mesmo, sem a necessidade de tantos estímulos externos gratificantes e agradáveis.

  • Acessam uma felicidade mais natural e uma seriedade existencial: cultivação de uma satisfação de estar aqui neste momento, sem desejar nada mais do que isto que está aqui no momento presente.

  • Satisfeitos.

  • Mente ágil, produtivo e entusiasmado.

  • Não precisam de alegria imediata e conseguem se dedicar ao que verdadeiramente importa, sem estar procurando por algo que não está aqui.

  • Preferem estar com pessoas com quem podem se conectar de verdade.


Grande aprendizado de vida: Sentir-se verdadeiramente feliz em silêncio e quietude, sem a necessidade de distrações e estímulos externos.


Desafio psicológico: Como posso ser feliz sem o desejo de fazer planos e me permitindo sentir o vazio e a dor que existe em meu interior?


Objetivo: Perceber sua raiva e revolta diante da sensação de não ser levado a sério são disfarces para a tristeza, frustração e medo da rejeição. Focar em suas prioridades, diminuir o número de coisas que faz ao mesmo tempo, comprometer-se com aquilo que inicia, ouvir os outros com humildade, cuidar de tarefas rotineiras e burocráticas, especializar-se e aprofundar-se quando isso for necessário.


Em auto-observação você deve criar um espaço interno para perceber seus pensamentos, sentimentos e ações rotineiras. Preste atenção nas tendências de:

  • Observe quando, para evitar algo desconfortável, você se afasta, acelera e se move em direção de algo que aparenta ser mais prazeroso.

  • Observe o medo, a ansiedade, a rebeldia suave frente a qualquer restrição ou sensação de estar sendo limitado.

  • Observe se suas expectativas quanto ao futuro funcionam como forma de compensar ou escapar do que está acontecendo no presente.

Sempre que identificar um padrão, questione-se:

Por que isto habita de mim? De onde vem? Qual necessidade mais profunda estou tentando atender através de padrão? Agir/pensar/sentir assim me ajuda ou me atrapalha?


Quando houver uma tomada de consciência, experimente tomar novas atitudes e criar novas possibilidades.


OBS: O conteúdo aqui compilado é um resumo criado a partir das obras de Beatrice Chestnut, Borja Vilasceca, Domingos Cunha, Nicolai Cursino e Urâneo Paes, bem como de meus atendimentos e cursos. Meu profundo respeito e agradecimento a estes mestres que nos ensinam tanto.

Monique Dasenbrock

Contato:

(48) 991368323

moniquedasenbrock@gmail.com

Florianópolis, Brasil

  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco
Copyright 2019