• Monique Dasenbrock

Eneatipos: Um olhar para a essência e para a personalidade

O trabalho com o Eneagrama é o trabalho de identificar tudo aquilo que não somos enquanto essência. Trata-se de identificar e de nos desapegarmos de pensamentos, emoções e comportamentos que nos afastam de viver a presença, o silêncio e o amor que constituem nossa verdadeira natureza.


Escrevi abaixo alguns resumos para lhe ajudar no seu processo de auto investigação. Faço o convite de que você observe e também aprenda com as sutilezas nas imagens que a artista Ana Roldán criou para representar a fixação de cada personalidade.


{Eneatipo 1]⁣

“Aquilo que não és capaz de aceitar é a única causa do teu sofrimento”. Gerardo Schmedling⁣

A dor das pessoas com essa personalidade está no constante esforço para atingir a perfeição. Para compensar o sentimento de que há algo a ser corrigido no mundo (e nelas mesmas), criaram um ideal de como as coisas e as pessoas deveriam ser. Nesse empenho, se tornam muito exigentes e críticas e, como nunca atingem o nível de perfeição desejado (porque isso não é coisa desse mundo!), tendem a ficar irritadas e frustradas com facilidade. São pessoas que geralmente estão convencidas de que a sua maneira de ver as coisas é a única maneira certa. Por causa da rigidez, tentam impor seu ponto de vista àqueles que pensam ou agem de maneira diferente.⁣

Quando vão fazendo o trabalho interior, vão reconectando-se com sua qualidade essencial: serenidade. A serenidade abre as portas para um coração quieto que não se perde mais em reatividade. São pessoas que seguem motivadas por fazer a coisa certa (aquilo que é íntegro e justo), mas se tornam mais ponderadas e sábias. Podem até não concordar com tudo que percebem no mundo, mas agora aceitam que a imperfeição faz parte da nossa condição humana.⁣

Para você que se identifica com esse tipo de personalidade, a pergunta que lhe faço é: Como você pode continuar melhorando e se aperfeiçoando e ao mesmo tempo se aceitando absolutamente como é?⁣


[Eneatipo 2]⁣

“Não há amor suficiente neste mundo para preencher o vazio de uma pessoa que não ama a si mesma”. Irene Orce⁣

O desafio dessa personalidade é o orgulho. Internalizou que é a pessoa que sabe o que os outros precisam e por isso considera-se indispensável na vida do outro. Acredita que quanto mais ajudar as pessoas, mais elas o amarão. E, que quanto mais a amam, mais feliz será. Para a personalidade, o importante é ser uma pessoa querida e agradável. Mas, o orgulho está na verdade mascarando a carência, a dependência da atenção do outro e a dificuldade de estar só. Nesse processo de se desdobrar para agradar, acabam perdendo o contato com as suas próprias necessidades.⁣

Quando vão verdadeiramente fazendo o trabalho interior e recuperando o contato com a essência, essas pessoas reconectam-se com sua qualidade essencial: a humildade. Por meio da humildade passam a se ocupar primeiro de suas próprias necessidades, se amando como são. Já não idealizam ser mais do que simplesmente um ser humano. Continuam muito generosas, mas agora aprendem a pedir ajuda, estar um pouco mais sozinhas e a tomar decisões a partir da razão (e não apenas a partir das emoções).⁣

Para você que se identifica com essa personalidade, a questão lhe faço é: Quando você realmente se ama (de verdade!)?⁣



[Eneatipo 3]⁣

“Seja você mesmo, o resto dos papéis já foram ocupados”. Oscar Wilde⁣

A ferida desta personalidade está em não valorizar genuinamente o Si Mesmo. Acreditam que, caso não se destaquem, brilhem ou se sobressaiam em algum ambiente, ninguém os dará valor. Tendem a achar que seu valor como ser humano depende de seus triunfos profissionais, do status social alcançado ou aparência física, por isso buscam se sobressair através da imagem, do êxito e do reconhecimento. Importa muito se sentirem admiradas, mesmo que para impressionar tenham que abdicar de muitos aspectos de sua vida ou fingir serem algo que não são, até que o seu objetivo seja alcançado.⁣

Quando vão recuperando o contato com o Ser, reencontram a sua qualidade essencial: a autenticidade! Desenvolvem autoestima genuína e coerência entre o que dizem, sentem e fazem, ousando se mostrar como são (sem mais precisar se moldar àquilo que vai impressionar os outros). Passam a se amar de verdade e aí já não é mais preciso competir. Colaboram, se engajam e brilham mas agora se dedicando aos projetos verdadeiramente guiados pelo coração.⁣

Para você que se identifica com esse tipo de personalidade, a questão é: Será que vão me valorizar se eu deixar de impressionar as pessoas e simplesmente me mostrar como sou?⁣


[Eneatipo 4]⁣

“A tristeza prepara você para a alegria. Ela varre violentamente tudo para fora de sua casa para que uma nova alegria encontre espaço para entrar”. Rumi⁣

O desafio das pessoas que têm essa personalidade está em realizar que o seu sofrimento não é o centro do universo. Tal sofrimento é a maneira que a personalidade encontrou para ser percebida pelos outros e passar a impressão de ser uma pessoa única, especial e diferente. Geralmente consideram que lhes falta algo para serem felizes, tendem a “alimentar” um estado de melancolia e se sentem incompreendidas nos seus altos e baixos emocionais frequentes.⁣

Quando vão verdadeiramente fazendo o trabalho interior e recuperando o contato com a essência, entram em contato com sua qualidade essencial: a equanimidade. Continuam pessoas sensíveis, intuitivas, criativas e originais, mas agora sem dramas. Abrem-se para uma quietude interior que traz a capacidade de lidar com qualquer emoção sem se apegar e sem rejeitar.⁣

Para você que se identifica com essa personalidade a questão é: A quais dramas você tem se apegado?⁣


[Eneatipo 5]⁣

“A fuga não levou ninguém a nenhum lugar.” Antoine de Saint-Exupéry⁣

Um dos maiores desafios das pessoas que têm esse tipo de personalidade são os relacionamentos. Tudo o que envolve sentimentos, contato físico, bem como disponibilização de tempo e de recursos para os outros, assusta-os. Essas pessoas têm a impressão de que se compartilharem, irão perder o pouco que têm. Tendem a se trancafiar em sua solidão, focando em seu mundo racional, teórico, intelectual. Têm receio de enfrentar a realidade, principalmente quando surgem compromissos emocionais com outras pessoas.⁣

Quando vão fazendo o trabalho interno e se sintonizando com sua verdadeira essência, entram em contato com sua qualidade essencial: o desapego. Passam a explorar o mundo com o olhar de uma criança e se realizam da grande certeza que é impermanência da vida. Quando vivenciam a transitoriedade de tudo, compreendem também que compartilhar não nos empobrece, pelo contrário, só nos enriquece!

Para você que se identifica com esse tipo de personalidade a questão que lhe faço é: Como deixar de racionalizar, passar a agir, a sentir e ainda assim seguir adquirindo conhecimento?⁣



[Eneatipo 6]⁣

“Quem tem medo sem perigo, inventa para si mesmo o perigo para justificar o seu medo.” Alain⁣

O desafio dessa personalidade está na dificuldade de confiar de si mesmo. São pessoas frequentemente tomadas por dúvidas, medo e ansiedade relacionados a potenciais problemas futuros. Vivem em constante estado de alerta para não serem pegas desprevenidas. Por se sentirem inseguras, tendem a desconfiar da intenção alheia, projetar suas neuroses nos outros e se preocupar com o pior que pode acontecer. Querem ter certeza absoluta cada vez que precisam tomar uma decisão.⁣

Quando vão se sintonizando com a sua verdadeira natureza, reconectam-se com sua qualidade essencial: a coragem! Atrevem-se a ser fiéis a si mesmas, tomando decisões movidas pela sua intuição e por seus valores. Coragem não é sobre se jogar de forma desastrosa em direção àquilo de que se tem medo, mas sim sobre ter coragem de falar a verdade, de se mostrar, de encarar cada dia (apesar dos riscos: ousar ser quem se é).⁣

Para você que se identifica com esse tipo de personalidade a questão é: Pelo que vale a pena lutar?⁣


[Eneatipo 7]⁣

“Se com tudo o que tens, não és feliz; com tudo o que lhe falta também não serás.” Erich Fromm⁣

A dificuldade dessa personalidade está em entrar em contato com o vazio existencial. Tendem a desenvolver um jeito divertido, alegre e positivo, usando o senso de humor e a racionalização como forma de se esquivar de assuntos e situações difíceis. Têm dificuldade de escutar os outros com paciência, porque também têm dificuldade de escutar verdadeiramente a si mesmas. Geralmente são obcecadas pela busca de prazer imediato como forma de não lidar com sua angústia crônica. Especialistas em fugir da dor através do barulho, dos planos ou do entretenimento.⁣

Quando vão recuperando o contato com sua verdadeira essência, reconectam-se com sua qualidade essencial: a sobriedade. A sobriedade as ajuda a sentirem-se bem consigo mesmas, sem a necessidade de tantos estímulos externos. Essas pessoas acessam então uma alegria mais natural (que é diferente da excitação) e se sentem satisfeitas com o que se apresenta aqui, neste momento. Assim conseguem se dedicar com seriedade ao que verdadeiramente importa.⁣

Para você que se identifica com esse tipo de personalidade uma questão é: Como ser feliz sem fugir do vazio e da dor que existe em seu interior?



[Eneatipo 8]


"A melhor defesa não é um bom ataque; a melhor defesa é não se sentir atacado.” Gerardo Schmedling⁣

O maior medo das pessoas que têm essa personalidade é de que os outros as prejudiquem, as controlem ou as dominem. Geralmente se protegem atrás de uma couraça firme e vivem na defensiva, reagindo de forma agressiva quando se sentem ameaçadas. Tendem a intimidar e gostam de se encarregar das situações a fim de não se sentirem submetidas à vontade dos outros. Não suportam que os digam o que elas têm que fazer e também não suportam situações de injustiça. Para proteger sua vulnerabilidade, acreditam que "a melhor defesa é um bom ataque".⁣

Recuperando o contato com a sua verdadeira essência, entram em contato com sua qualidade essencial: a inocência! Por trás da armadura, há um coração enorme, gigante, muito protetor e cuidador. Quando vão se desenvolvendo, essas pessoas continuam vivendo com entusiasmo, assertividade e cheias de energia, mas agora com um coração aberto e tocável. Tornam-se pessoas que colocam toda sua força à serviço dos outros (e não contra os outros). São pessoas que agora também se dão a permissão de chorar se estão tristes, de sentir, de demonstrar afeto e de soltar a necessidade de controlar tudo e todos.⁣

Para você que se identifica com essa personalidade, lanço a questão : Como soltar a armadura e o desejo de controlar apesar do receio de que possam te fazer mal?



[Eneatipo 9]⁣ ⁣ “Não há pior cego do que aquele que não quer ver.” Provérbio Chinês⁣ ⁣ Algumas das dificuldades das pessoas que tem essa personalidade estão relacionadas com não terem aprendido a lidar com os conflitos e com a raiva. São pessoas que tendem a se recusar, a se anular e a se instalar em uma zona de conforto onde vivem alienadas de si mesmas. Para elas é difícil dizer "não" aos outros por medo de alguém possa se magoar ou sentir raiva. Renunciam com facilidade, tendem a procrastinar suas prioridades e podem se encontrar dominadas pela apatia, passividade e comodismo.⁣ ⁣ Quando começam a recuperar o contato com a sua verdadeira essência, essas pessoas entram em contato com a sua grande qualidade: a ação certa! Começam a fazer o que tem que ser feito sem pestanejar. Passam a agir e a se mover conscientemente, enfrentando os conflitos com assertividade. Continuam motivadas pelo amor à paz e à tranquilidade, mas agora tomam as rédeas da própria vida, se engajam e são proativas. Tornam-se autoconscientes e autoconfiantes e agem em benefício próprio, ao mesmo tempo que impactam o seu entorno de forma positiva e poderosa.⁣ ⁣ Para você que se identifica com essa personalidade, me conte : Como você faz para entrar em conflitos, estabelecer limites, se afirmar e ainda assim manter a sua paz interior?⁣


Desejo que as reflexões acima contribuam. Quem é você? Qual a sua verdadeira natureza?



Com amor,

Monique